quarta-feira, 18 de maio de 2011

Caninha com terroir



Com o frio de 14° que fez ontem a noite em São Paulo, eu não poderia fazer nada melhor do que tomar uma cachaça. Por isso, preferi não entrar em conflito comigo mesma e fui desbravar o centro da capital, mais precisamente o tradicional Paribar, para o lançamento dos novos rótulos da cachaça Santo Grau.

A marca já existe desde 1992, com os rótulos de Paraty e da mineira de Coronel Xavier Chaves. Mas agora decidiram repaginar as duas branquinhas e aproveitar a deixa para lançar um terceiro rótulo, com produção em Itirapuã (214 Km da capital), contemplando os paulistas.

Com as três representantes, Santo Grau estreia uma nova fase para as cachaças, investindo no terroir da marvada. Sim, terroir, aquela palavra fancesa que você só ouve quando falam de vinhos, tratando-se da característica que a bebida traz de acordo com o lugar onde a matéria-prima é cultivada. Entendeu agora o por quê de um rótulo de cada lugar?

Na prática, a de Paraty é a que tem o cheiro mais acentuado de cachaça, mas na boca o sabor não é tão forte. A mineira - normalmente a minha favorita - tem cheiro e sabor bem mais suave, e a paulista - para a minha surpresa, a minha preferida! - traz um cheiro de madeira e sabor na medida.
 
Todas as caninhas da Santo Grau são cachaças premium, feitas a partir do "coração", que é a parte mais nobre da destilação da cana, obtida depois da evaporação da "cabeça", parte rica em alcoóis mais voláteis, e antes do aparecimento da "cauda", final do processo, que tem um teor alcoólico muito baixo.

O preço sugerido das garrafas é R$35,00 e elas já começaram a ser distribuídas por aí. Mas se quiser achar sem sair do lugar, liga lá no SAC 0800 558018 ou (11) 3875 1223 e aproveita a água na boca pra visitar o site (ainda em construção).

A cigarra cantou e saiu bem bêbada da Praça Dom José Gaspar. Porém, aquecida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário